Agiota do caso Olarte é baleado com sete tiros no Guanandi

Salem Ferreira Vieira de 36 anos, agiota que auxiliou nas investigações que levaram o ex-prefeito Gilmar Olarte a condenação por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, foi baleado com pelo menos 7 tiros na manhã de hoje, próximo a uma creche localizada na Rua Jaime Ferreira Barbosa, no Bairro Guanandi, em Campo Grande. Na ocasião Vieira estava levando o filho de 3 anos até o local quando foi atingido pelos tiros.

Testemunhas informaram à Polícia Militar que, dois homens em um Voyage preto chegaram e efetuaram os disparos. Vieira estava no carro, um Renault preto com a esposa e o filho. Apenas ele foi atingido pelos tiros.

Conforme o Corpo de Bmbeiros, os disparos atingiram o tórax, a clavícula, as axilas e o braço direito da vítima. Uma equipe do Serviço de Atendimento de Urgência (Samu) também foi ao local e encaminhou Vieira até a Santa Casa.

Os suspeitos do crime fugiram logo em seguida e ainda não foram encontrados. O caso é investigado pela polícia.

CASO OLARTE

Salem é conhecido por ser uma das peças chaves na denúncia da operação que recebeu o nome de Coffee Break, um esquema de “compra e venda” de votos feito em 2014 para cassação do mandato do então prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) e posse do vice Gilmar Olarte.

Em 2014, o agiota tentou invadir a igreja do ex-prefeito e pastor evangélico Gilmar Olarte, no Bairro Coophamat. Na ocasião, Salem desacatou dois guardas municipais na tentativa de “pegar o prefeito” durante um culto, mas foi contido.

Em 2015, Vieira respondeu pelo crime de usura, que está ligado à cobrança excessiva de juros, situação típica da prática de agiotagem. (Colaborou Maressa Mendonça)

Facebook Comentários