CÂMARA MUNICIPAL MURTINHOCoisa de MulherFOLHA DE MURTINHO - O SEU JORNAL ELETRÔNICOMATO GROSSO DO SULPorto Murtinho

Anny Espínola participa da realização do primeiro encontro do Parlamento em Porto Murtinho

Com apoio do Governo do Estado, vereadoras de municípios fronteiriços de Mato Grosso do Sul formaram o Parlamento Feminino da Fronteira, para trabalhar no desenvolvimento de políticas públicas em defesa das mulheres vítimas de violência, na oportunidade, a Vereadora de Ponta Porã, Anny Espínola (PSDB), foi eleita por unanimidade, Coordenadora do Parlamento.

O “Parlamento Feminino da Fronteira” busca garantir a efetiva participação das vereadoras nos órgãos e atividades legislativas; fiscalizar e acompanhar programas dos Governos Municipal e Estadual; receber denúncias de discriminação e violência contra a mulher; elaborar e executar programas de enfrentamento à violência contra mulheres e de empoderamento feminino; cooperar com organismos nacionais e internacionais na promoção dos direitos da mulher.

Neste sábado (13), a atual Coordenadora do Parlamento Feminino da Fronteira, a vereadora Anny Espínola, esteve em Porto Murtinho participando da realização do Primeiro encontro do Parlamento, buscando garantir a rendabilidade e economia de muitas famílias do campo e da cidade.

Durante a passagem pela cidade, Anny, foi entrevistada pela rádio FM 105,9, comunitária Guaicurus, e esteve acompanhada da vereadora Fátima Vidotte, e do prefeito  Porto Murtinho, Derlei Delevatti. A vereadora de Ponta Porã, aproveitou para convidar a toda população para o encontro.

Com o tema “Diálogos e Cidadania”, o evento reuniu mulheres da região da fronteira para discutir a construção e aprimoramento das políticas direcionada à Mulher, em especial, a feira da mulher que aconteceu neste sábado dia 13/04. Na oportunidade a vereadora e presidente do PSDB em Ponta Porã, Anny, fez uso da palavra apresentando o Parlamento e seus objetivos, instruindo e edificando a construção de ideias que podem e devem fortalecer a mulher que vive em fronteira.

“Hoje começamos em Porto Murtinho, na promoção de discussões, seminários e esclarecimentos. Esse debate é fundamental, pois trabalhar na fronteira é muito difícil, já que o agressor passa de um país para o outro e ficar impune”, avalia Anny Espínola.

O principal objetivo do grupo é levar conhecimento às mulheres que vivem na divisa com o Paraguai e a Bolívia, promovendo o empoderamento, o empreendedorismo e a superação de desigualdades.

“Os próximos encontros devem acontecer nos próximos meses nas cidades Polos do projeto, como: Corumbá, Bela Vista, Amambai e minha querida fronteira, Ponta Porã”, afirmou Anny.

Formação

Formado com apoio da Secretaria de Estado de Governo e Gestão Estratégica (Segov), por meio da Subsecretaria Especial de Cidadania e da Subsecretaria de Políticas Públicas para Mulheres, o Parlamento Feminino da Fronteira tem representatividade de 18 municípios. Confira abaixo a lista:

  1. Amambai
  2. Antônio João
  3. Aral Moreira
  4. Bela Vista
  5. Caracol
  6. Coronel Sapucaia
  7. Corumbá
  8. Eldorado
  9. Iguatemi
  10. Japorã
  11. Ladário
  12. Laguna Carapã
  13. Mundo Novo
  14. Paranhos
  15. Ponta Porã
  16. Porto Murtinho
  17. Sete Quedas
  18. Tacuru

Composição

  • Coordenadora – Anny Espínola (Ponta Porã)
  • Coordenadora adjunta – Fátima Vidotte (Porto Murtinho)
  • Primeira Secretária – Claudia Maciel (Coronel Sapucaia)
  • Segunda Secretaria – Luzia Montiel (Tacuru)