Após teste de pressão contra os EUA, Bernardinho pede mais lucidez ao time

Lucidez. Para Bernardinho faltou um pouco dela no primeiro teste de pressão do Brasil na Olimpíada. Não apenas para lidar com o eficiente saque, à la Sérvia, imposto pelos EUA. Mas para evitar o enfrentamento com o bloqueio. Por vezes, a equipe desperdiçou oportunidades de ganhar ralis por conta da ansiedade. Atitude que não vai poder se repetir contra a Itália, a única invicta, dona de serviço tão poderoso quanto, mas com um paredão alto e bem montado. A partida será neste sábado, às 22h35, no Maracanãzinho.- Temos que achar soluções de saber jogar e não enfrentar o bloqueio. No rali, a bola batia e voltava, batia e voltava. Eles foram mais lúcidos do que nós. Matt Anderson tocou bolas, mas também estourou outras como nós. A pressão que sofremos no saque gerou a ansiedade de querer decidir. Não é assim que se joga num jogo pesado como esse. Tem que trabalhar a bola para minar o bloqueio. O segundo set, era uma parcial decisiva que podia mudar história da partida. Tínhamos 22/20 e tomamos um ace no miolo de quadra. Temos que conseguir fechar quando tem pequena vantagem como aquela. Vamos sofrer essa pressão de novo e temos que saber lidar com ela. A Itália vai focar no saque como fez a Sérvia (a única a bater a equipe na Liga Mundial). É a arma que ela tem e a gente vai ter que controlar um pouco isso. Não presentear com pontos. Temos que aprender com esse jogo para melhorar contra a Itália e tentar sobreviver neste forte grupo. Temos que saber jogar nesse tipo de situação – disse.

Facebook Comentários