Data de Hoje - 20/Janeiro/2019

Bolsonaro vai a campeonato de jiu-jitsu e volta a criticar ‘escravidão’ de médicos cubanos

presidente eleito Jair Bolsonaro visitou neste domingo (18) um campeonato de jiu-jitsu realizado na Arena Carioca 1, no Parque Olímpico do Rio de Janeiro. O Grand Slam do Rio de Janeiro teve início na última sexta e termina neste domingo.

No local, Bolsonaro falou com a imprensa e voltou a criticar a contratação de médicos cubanos pelo governo brasileiro no programa Mais Médicos.

Na última quarta-feira (14), o governo de Cuba anunciou a decisão de deixar o Mais Médicos, citando “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” feitas por Bolsonaro à presença de cubanos no Brasil.

Com a saída, cerca de 600 municípios brasileiros podem ficar sem nenhum médico da rede pública a partir do dia 25 de dezembro, segundo o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems).

Para o presidente eleito, o Brasil não pode ser “conivente” com o que ele afirmou ser um trabalho “análogo à escravidão”. Pelo modelo de contratação, os cubanos, contratados com a Organização Pan-americana da Saúde (Opas) como intermediária, recebem cerca de 30% do valor pago aos demais médicos do programa. Os outros 70% ficam com o governo de Cuba.

“Não podemos ser coniventes com o trabalho análogo a escravidão. É uma questão humanitária. Eu não sou presidente. Em janeiro nós vamos apresnetar o remédio para isso. Se bem que o governo Temer já está trabalhando nesse sentido. É justo confiscar 70 ou 80% do salário de uma pessoa? Não é justo”, criticou Bolsonaro.

“Não podemos admitir escravos cubanos no Brasil e não podemos continuar alimentando a ditadura cubana”, complementou.

Jair Bolsonaro vai a campeonato de jiu-jitsu no Rio

Jair Bolsonaro vai a campeonato de jiu-jitsu no Rio

Facebook Comentários