Category: CORRUPÇÃO SEM FIM

O Juiz da 12ª Vara da Justiça Federal em Brasília , Marcus Vinicius Reis, autorizou os depoimentos de 42 pessoas no processo em que amigos do presidente Michel Temer se tornaram réus acusados de integrar uma organização criminosa. O juiz atendeu a pedido do Ministério Público Federal no Distrito Federal. Do total de 42 testemunhas, a maioria é de delatores – 36 são colaboradores da Lava Jato – que serão ouvidos no processo do chamado “quadrilhão do MDB”. Entre os réus dessa ação penal, estão os ex-deputados Eduardo Cunha e Henrique Alves e os amigos do presidente Michel Temer João Batista Lima Filho, ex-coronel da Polícia Militar de São Paulo; o advogado José Yunes, ex-assessor de Temer; e o ex-deputado e ex-assessor da Presidência Rodrigo Rocha Loures. Entre as testemunhas a serem ouvidas no processo estão o ex-ministro Antônio Palocci , o empresário Marcelo Odebrecht, do grupo Odebrecht; Ricardo Pessoa, da empreiteira UTC; o ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró ; o operador Fernando Baiano; o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado e o ex-senador Delcidio do Amaral. O Ministério Público diz que Yunes e Lima serviam de emissários e arrecadadores de propina para o partido e para Temer. De acordo com o MP há suspeita de que Loures fosse emissário de Temer na Caixa Econômica Federal em um suposto esquema de desvios. Todos negam as acusações. O MP pediu as prisões dos investigados sob o argumento de que havia risco de cometerem crimes, mas o juiz Marcus Vinicius Reis negou o pedido. Os amigos do presidente, Yunes , Lima e Loures já foram presos em outras investigações. Yunes e Lima cumpriram prisão temporaria na Operação Skala, no início do mês, que investiga empresários do setor de portos e as relações deles com amigos do presidente em troca de supostos benefícios . A pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal, os soltou antes do fim do prazo inicial da prisão temporária. Loures foi preso a partir da delação da JBS, em junho do ano passado, por causa da mala com R$ 500 mil que teria recebido de Ricardo Saud, delator e ex-diretor do grupo J&F. Menos de um mês depois ele conseguiu liberdade com restrições, por decisão do ministro Edson Fachin, do STF.

O vereador Paulo Igor (MDB), que foi preso com dinheiro na banheira durante a operação Caminhos do Ouro, do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), renunciou à...

PF instaura inquérito e perícia analisa danos após invasão a triplex atribuído a Lula em Guarujá, S

Ocupação ocorreu na manhã desta segunda-feira (16), por militantes do MTST e Frente Povo Sem Medo. Advogado dos movimentos sociais já se apresentou à Delegacia da...

Espólio dos votos de Lula preocupa PT após divulgação de pesquisa

O PT ficou em alerta com o resultado da primeira pesquisa com índices de intenção de voto para a eleição presidencial de 2018 divulgada depois da prisão do...

Após 4 meses parada na Câmara, PEC do foro privilegiado corre risco de ser engavetada

Sem indicações de membros, comissão está sem funcionar; líderes dizem que aguardavam fim da janela partidária. CCJ, porém, avalia que PEC não pode tramitar...

MPE recomenda restrição de processos seletivos para contratação de pessoas

O Ministério Público Estadual (MPE), por meio do promotor de Justiça Marcos Alex de Oliveira, recomendou ao prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSD) e os...

Prisão de Lula em Curitiba

No Rio Grande do Sul, apoiadores de Lula se reúnem no Parque Farroupilha, a Redenção, na área central de Porto Alegre. Eles protestam contra a prisão do...

Decisões da Justiça não têm feito ‘a lei valer para todos’, diz Dodge

Em evento nos EUA, procuradora-geral da República traça panorama da Justiça brasileira, que segundo ela tem proferido mais decisões bem fundamentadas, mas ainda sem...

Negociações de Lula: ex-presidente quer que PF vá buscá-lo em sindicato

As primeiras conversas para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seja preso, como determinou o juiz Sérgio Moro, já começaram, mas esbarram no formato: Lula...

STJ negou habeas corpus pedido pela defesa de Lula. Prazo terminou, e ex-presidente não se entregou à PF.

Juristas ouvidos pela TV Globo explicam que a decisão de Lula não representa um desrespeito à decisão judicial, uma vez que a apresentação dele às 17h era uma...