Data de Hoje - 16/Outubro/2018

Conheça a história de professor que pediu demissão após ser agredido por alunos

Thiago dos Santos Conceição virou assunto da semana depois que alguns de seus alunos transformaram uma aula num episódio de humilhação e violência.

No entanto, infelizmente, cenas como essa são cada vez mais comuns em salas de aula das escolas brasileiras. Um estudo do Sindicato dos Professores do estado de São Paulo revela: 51% dos integrantes da categoria já sofreram algum tipo de agressão na escola.

O Fantástico conversou com Thiago sobre o episódio e mostra um pouco da vida do professor.

Subiu para seis o número de investigados poragredir e humilhar um professor em uma escola de Rio das Ostras, no interior do Rio. O delegado Carmelo Santalucia, da 128ª Delegacia de Polícia, ouviu o professor Thiago dos Santos Conceição, de 31 anos, na tarde deste sábado (22) e disse que as ofensas vinham evoluindo e tinham cunho racista e homofóbico.

“O depoimento da vítima era muito aguardado. Ele pediu um prazo para se apresentar porque aquele tipo de ofensa o abalou psicologicamente. Ele nos disse que não foi a primeira vez e percebia o aumento no tipo de ofensas relacionadas a ele”, disse Carmelo Santalucia.

Santalucia falou que inicialmente a polícia trabalhava com a hipótese de que quatro jovens teriam praticado o crime. Depois de ouvir as testemunhas e a vítima, o número de suspeitos subiu para seis.

Entre os investigados estão cinco adolescentes e um maior de idade, que pode ser indiciado pelo crime de corrupção de menores.

O professor apresentou para o delegado um documento que comprova que as ofensas já haviam sido comunicadas à direção e que o caso foi registrado administrativamente pela escola.

O delegado afirmou que se constatar que houve omissão por parte da escola, os responsáveis também poderão ser investigados.

A segunda etapa das investigações da Polícia Civil será intimar todos os jovens para que contem suas versões do fato. Depois de ouvi-los, a polícia poderá esclarecer o que cada um praticou dentro de tudo que foi mostrado no vídeo.

Ambiente escolar?

A polícia realizou uma perícia no Ciep Municipal Mestre Marçal e encontrou pichações de órgãos sexuais e que faziam apologia a facções criminosas.

A polícia informou que a direção da escola disse que essa situação é corriqueira na unidade.

“Até do surgimento desse fato, não tínhamos noticias de crimes praticados no interior dessa escola, mas depois dessa denúncia, surgiram outras pessoas denunciando fatos parecidos”, informou o delegado.

Facebook Comentários