Data de Hoje - 26/Junho/2019

Em áudio vazado, vereador pede droga de dentro de fórum em MS

Gustavo Guiraldelli, vereador de Água Clara, município 198 quilômetros distante de Campo Grande, é investigado por ter supostamente pedido droga de dentro do Fórum de Água Clara, onde trabalho como oficial de Justiça. A investigação se iniciou após a Polícia Civil ter tido acesso a um áudio no celular do entregador, um mototaxista que foi preso em 20 de dezembro, durante operação de Natal na cidade. As informações são do JPNews.

Em maio de 2018, o parlamentar já havia sido denunciado na Câmara Municipal, por suspeitas de patrocinar festas regadas a bebidas e entorpecentes a menores. Ele, que também atuou como policial civil em 2004, nega as acusações.

O áudio com o pedido que seria atribuído a Guiraldelli, vazou nas redes sociais e aplicativos de mensagem. Na gravação, a voz atribuída ao vereador pede mais R$ 50,00 de cocaína, pois a pedra havia acabado de comprar teria se “esfarelado no bolso”, devido uma tempestade.

Em resposta, o mototaxista pede que ele espere até a chuva diminuir. Ainda, o entregador diz que avisou que isso aconteceria, mas que o comprador estaria “doidão”. O solicitante diz então para o suspeito, em aparente euforia: “Cola aqui no Fórum. Só estou eu aqui. Rapidão! Agora, agora, agora…(sic)”. Outras pessoas, inclusive uma suposta funcionária foi citada na conversa.

Ao JPNews, o delegado Felipe Alves Madeira, titular da Delegacia de Água Clara, afirmou a operação prendeu ao menos cinco traficantes e que indiciou outras pessoas. “Estamos checando todas as informações desta operação e que são relativas às outras questões criminais. É prematuro dizer qualquer coisa, mas, o caso deu bastante repercussão na cidade e vamos apurar todos os detalhes. Todos os inquéritos da operação foram encaminhados e a ocorrência deste fato novo foi registrada. Ainda vamos ver se instauramos ou não um inquérito e oferecer a denúncia ao poder judiciário”, disse.

Em depoimento, o mototaxista negou ter vendido drogas ao vereador, mas afirmou ter consumido com o parlamentar. Ele respondeu procedimento em 2012, por posse de arma de fogo.

Facebook Comentários