Data de Hoje - 24/Março/2019

Justiça da Argentina pede prisão preventiva a Cristina Kirchner por ‘cadernos das propinas’

A Justiça da Argentina confirmou nesta quinta-feira (20) o processo com prisão preventiva à ex-presidente e atual senadora Cristina Kirchner pelo caso conhecido como “os cadernos das propinas” – uma rede de supostos subornos que envolve dezenas de empresários e ex-funcionários do governo.

Kirchner, no entanto, não foi presa porque tem foro parlamentar como senadora. Até agora, o Senado não discutiu o pedido do juiz Claudio Bonadio para retirar a imunidade da ex-presidente.

A Câmara Federal considerou Kirchner chefe de uma organização criminosa e confirmou o processo, que se dará em julgamento oral. O processo inclui o pedido de prisão preventiva que já foi feita pelo juiz Claudio Bonadio – cuja casa foi alvo de atentado a bomba em novembro.

Foto de março de 2018 fornecida pelo jornal 'La Nación' mostra um dos cadernos de Oscar Centeno, ex-motorista ligado aos governos dos Kirchners na Argentina — Foto: La Nacion via APFoto de março de 2018 fornecida pelo jornal 'La Nación' mostra um dos cadernos de Oscar Centeno, ex-motorista ligado aos governos dos Kirchners na Argentina — Foto: La Nacion via AP

Foto de março de 2018 fornecida pelo jornal ‘La Nación’ mostra um dos cadernos de Oscar Centeno, ex-motorista ligado aos governos dos Kirchners na Argentina — Foto: La Nacion via AP

O caso se baseia em uma série de cadernos de anotações feitas por anos por um motorista do ministério de Planejamento. Nas páginas, ele anotava nomes de funcionários e de empresarios e quantias de dinheiro.

À medida que o caso avançou, vários acusados se declararam arrependidos e começaram a colaborar com a justiça em troca de liberdade.

Corrupção na Argentina

Senadora e ex-presidente argentina Cristina Kirchner chega a tribunal em Buenos Aires — Foto: Eitan Abramovich/ AFPSenadora e ex-presidente argentina Cristina Kirchner chega a tribunal em Buenos Aires — Foto: Eitan Abramovich/ AFP

Senadora e ex-presidente argentina Cristina Kirchner chega a tribunal em Buenos Aires — Foto: Eitan Abramovich/ AFP

Facebook Comentários