Justiça portuguesa manda extraditar alvo da 25ª fase da Operação Lava Jato

Justiça de Portugal decidiu extraditar o empresário Raul Schmidt, alvo da 25ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada em março de 2016. A informação foi confirmada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), na manhã desta segunda-feira (29).

O empresário é suspeito de atuar no pagamento de propina a ex-diretores da Petrobras. Conforme o Ministério Público Federal (MPF), ele trabalhou como operador financeiro de Renato Duque, Nestor Cerveró e Jorge Zelada, todos já condenados em ações penais derivadas da Lava Jato.

O advogado de Raul Schimidt, Antonio Carlos de Almeida Castro, disse que vai tentar reverter a extradição. Segundo ele, depois de definido o processo de extradição, Raul Schimidt conseguiu o status de português nato – o que mudaria o entendimento sobre o caso.

“No entender da defesa a decisão administrativa do Ministério da Justiça Brasileiro, que deu andamento ao pedido de extradição deve ser revogado pois, no novo quadro jurídico, é inconstitucional a oferta de reciprocidade ao governo Português. O Brasil não extradita brasileiro nato, em nenhuma circunstância. Pelo mesmo motivo a decisão do Judiciário Português e do Ministério da Justiça de Portugal, tomadas antes do deferimento da Cidadania Originária de Raul Scmith não podem subsistir. Em respeito às constituições dos dois países”, disse o advogado Antônio Carlos.

Schmidt é brasileiro, mas se naturalizou português em 2011. Ele mantinha uma galeria de arte em Londres, mas mudou-se para terras lusitanas depois do início da Operação Lava Jato.

O empresário foi preso em Portugal quando a 25ª fase da Lava Jato foi deflagrada, mas já respondia em liberdade pelo caso.

Por ter dupla cidadania, o empresário esperava continuar em Portugal. Conforme a PGR, a decisão de extraditá-lo partiu do Supremo Tribunal de Justiça de Portugal e já não cabe mais recurso.

A ordem da Justiça portuguesa, no entanto, prevê que Schmidt não possa ser responsabilizado por atos ilegais que tenha cometido antes de se naturalizar português.

Com a determinação judicial, ele passou a ser procurado pelas autoridades portuguesas e pode ser alvo de um novo mandado de prisão, expedido pela Justiça lusitana.

Raul Schmidt (Foto: Reprodução/TV Globo)Raul Schmidt (Foto: Reprodução/TV Globo)

Raul Schmidt (Foto: Reprodução/TV Globo)

Facebook Comentários