Data de Hoje - 24/Março/2019

Mantega pede ao Supremo que não envie delações do grupo J&F a Moro

defesa de Guido Mantega pediu nesta quinta-feira (17) ao ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, que não envie ao juiz federal Sérgio Moro os trechos das delações do grupo J&F referentes ao ex-ministro da Fazenda.

Os advogados de Mantega questionaram na Corte o pedido da Procuradoria Geral da República para que trechos das delações sejam remetidos ao juiz de primeira instância.

Nesta quarta (16), a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentou pedido semelhante.

Argumentos

Assim com a defesa de Lula, os advogados de Mantega questionaram o pedido da PGR, apresentado na semana passada.

No documento, a procuradora-geral, Raquel Dodge, pediu que 80 trechos das delações sejam enviados para várias instâncias judiciais pelo país.

Em relação a Mantega, as delações envolvem suspeitas em fundos de pensão e na remessa de dinheiro para o exterior. Dodge pediu que cópias dos depoimentos sejam enviados à Justiça Federal em Brasília e para Justiça Federal no Paraná.

Os advogados sustentam que, após a delação da J&F, Edson Fachin enviou trechos tanto para Brasília quanto para Curitiba, mas, diante de recurso da defesa de Lula, a Segunda Turma reformou a decisão e entendeu que não havia ligação com os fatos apurados no Paraná.

“Não há razão para que aquele douto uízo seja destinatário de relatos complementares a fatos que, por determinação desse e. STF, não estão sendo lá apurados, mas sim na Seção Judiciária do Distrito Federal”, afirmou o advogado Fábio Tofic.

Facebook Comentários