Novo comandante foi integrante do grupo de elite “linha dura” da PM

O comando da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul sofreu mudança oficializada nesta sexta-feira à tarde. Coronel Deusdete Souza de Oliveira Filho, que estava no cargo desde o começo do governo de Reinaldo Azambuja (PSDB), saiu e dará lugar ao Coronel PM Jorge Edgard Júdice Teixeira, que já assume o posto nesta segunda-feira (29) e foi integrante da Tropa Ostensiva de Repressão Armada (Tora).

Deusdete estava em cargo de comando desde o governo anterior, quando foi diretor-presidente da Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário durante seis anos. Foi também chefe do Serviço de Inteligência da Polícia Militar do Estado.

Ele completou 30 anos de PM e cinco como coronel, o que por legislação o obriga a ir para a reserva. Coronel Deusdete, nos bastidores, foi criticado recentemente por sua atuação durante a prisão de três policiais militares por conta de apuração da corregedoria da instituição.

Os PMs são suspeitos de torturar adolescente de 15 anos no dia 19 de janeiro. Alegação dos críticos era de que ele não deveria apoiar a corregedoria. Publicamente, não houve manifestação.

NOVO COMANDO

O Coronel PM Jorge Edgard Júdice Teixeira assume o comando da Polícia Militar na próxima segunda-feira (29), a partir das 08h30, em cerimônia no Quartel do Comando Geral, no Parque dos Poderes, em Campo Grande.

O governador Reinaldo Azambuja e o secretário de Estado de Justiça e Segurança Pública, Silvio Maluf, estão confirmados no evento.

Júdice era o subcomandante da Polícia Militar. Natural do Rio de Janeiro, ele se formou na academia de Polícia Militar de Minas Gerais em 1990.

Conforme divulgado pela assessoria de imprensa, ele já ocupou o cargo de comandante do 7º e 9º Batalhão da Polícia Militar, foi ajudante-geral da PM e diretor de planejamento estratégico. Ele também atuou no extinto Tropa Ostensiva de Repressão Armada (Tora), criado em 1992 como o primeiro grupo de elite da PM no Estado.

Graduou-se em direito pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) e é pós-graduado em Direito do Estado e das Relações Sociais na mesma instituição.

“O oficial já foi condecorado com a medalha Tiradentes, medalha de Ouro por 30 anos de serviço, medalha do Mérito Policial Militar, medalha Imperador Dom Pedro I, do Corpo de Bombeiros, medalha Prêmio, da Polícia Civil e medalha das Nações Unidas, pela participação na intermediação no conflito em Angola, de julho de 1995 a agosto de 1996”, informou nota.

Por RODOLFO CÉSAR

Facebook Comentários