Renato anfitrião, Neymar campeão e novatos: a seleção olímpica no Maraca

Jogar no Maracanã não é novidade para a maior parte da seleção olímpica que enfrentará Honduras nesta quarta-feira, no estádio, às 13h (de Brasília), pela semifinal da Olimpíada. Mas isso não significa que os atletas tenham experiência no principal palco do futebol do país. Dos 11 titulares de Rogério Micale, apenas Renato Augusto tem currículo respeitável: são 42 jogos, três gols marcados e três títulos conquistados – Copa do Brasil de 2006 e Campeonato Carioca em 2007 e 2008.

O duelo entre Brasil e Honduras será transmitido ao vivo por GloboEsporte.com, TV Globo e SporTV, em duelo disputado no Maracanã, às 13h. As rádios Globo e CBN também transmitem a partida decisiva no Rio de Janeiro.

De resto, nenhum outro titular chegou a 10 partidas no Maracanã. Neymar, por exemplo, grande estrela da seleção, fez apenas dois jogos no estádio: em 2009, quando ainda era reserva do Santos, e em 2013, quando brilhou na final da Copa das Confederações e fez um gol no triunfo por 3 a 0 sobre a Espanha. O capitão brasileiro, por outro lado, é o único que já atuou no Maraca com a camisa amarela.

O zagueiro Marquinhos, por exemplo, nunca jogou no Maracanã. Nem mesmo Weverton, de 28 anos, atuou tanto: foram apenas cinco partidas, com uma vitória e quatro derrotas. Em geral, o retrospecto dos atletas não é muito animador. Ao todo, são 76 jogos, 34 triunfos, 16 empates e 26 derrotas. Além de Renato Augusto e Neymar, apenas Gabriel Jesus e Luan balançaram as redes – uma vez cada um.

– Já joguei duas vezes, com a camisa da seleção é a primeira vez. Espero fazer uma estreia assim como fiz com o Palmeiras, não só pelo gol que fiz, mas pela vitória, porque a gente ganhou do Fluminense por 4 a 1. Seria muito bom. Mas é outra realidade. Temos que focar e trabalhar em cima da seleção de Honduras, para fazer um grande jogo e conseguir a classificação – lembrou Gabriel Jesus.

>  “Fantasmas” do Brasil, Nigéria e Alemanha duelam por vaga na final

Contribui para a pouca experiência no Maracanã o fato de o estádio ter sido fechado três vezes nos últimos 10 anos. Neymar, por exemplo, atuou com frequência no Engenhão, em período em que a principal arena carioca estava sendo reformada para a Copa do Mundo. Em 2016, ninguém atuou, devido à interdição para a Olimpíada.

Nesta quarta-feira, os 11 jogadores, agora unidos na seleção olímpica, terão a chance de escrever nova história no Maracanã. Caso vençam Honduras, terão a oportunidade de disputar a medalha de ouro no sábado, no mesmo estádio, às 17h30 (de Brasília).

Facebook Comentários