Sob pena de cassação, candidatos terão 48h para explicar recurso suspeito

Candidato denunciado ao Comitê de Combate ao Caixa 2 terá 48h para informar a origem dos recursos suspeitos, sob pena de cassação da candidatura. O comitê será formado por 31 representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS).

Denúncias recebidas pelos advogados serão encaminhadas para o Ministério Público Estadual (MPE) e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) também será acionado.

“Nossa contribuição para a sociedade é agora”, comentou o presidente da OAB/MS, Mansour Karmouche, explicando que o comitê investigará campanhas eleitorais faraônicas.

CPMF

Também foi lançada nesta quinta-feira (25) campanha intitulada “Menos Impostos. Mais Respeito”, com objetivo de combater o aumento e criação de impostos.

A OAB defende o corte de gastos do governo federal e é contra a volta da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Com relação ao possível retorno desta cobrança, integrantes da Instituição garantiram que cobrarão, insistentemente, posicionamento de vereadores e deputados de Mato Grosso do Sul.

VÂNYA SANTOS E GABRIELA COUTO 25 de Fevereiro de 2016 | 13h00

Correio do Estado.

Facebook Comentários