Data de Hoje - 27/Maio/2019

Traficante contratava “mulas” para o transporte de drogas na fronteira

O chefe da quadrilha que traficava drogas internacionalmente, Luiz Fernando de Moraes Araújo, o “Boy”, fazia a contratação de pessoas que levariam a droga até países europeus na região da fronteira de Mato Grosso do Sul. Conforme os delegados responsáveis pela investigação, Marcelo de Carvalho e Luiz Carlos Ratti, o líder da organização também oferecia altos valores para os “funcionários” que faziam o transporte.

Além disso, ‘Boy’ estava construindo uma mansão na cidade de Barueri (SP) com o dinheiro conseguido com o tráfico internacional de cocaína.

Em Campo Grande, foi cumprido um mandado de busca e apreensão em residencial na Rua Santana, no Jardim TV Morena, na Operação Aplique, deflagrada pela Polícia Federal (PF) de São Paulo, na manhã de hoje (23).

Outros 15 mandados e uma prisão preventiva por lavagem de dinheiro contra Luiz, que já está preso desde outubro de 2018, foram cumpridos na capital Paulista. O grupo criminoso lavou mais de R$ 30 milhões e a Justiça Federal bloqueou esse valor, além de seis imóveis, incluindo a que está em construção e a apreensão de oito veículos.

A investigação começou em julho de 2017, com o monitoramento de tráfico de entorpecentes por helicóptero. Os policiais surpreenderam, durante uma tentativa de pouso, cinco suspeitos com grande quantia de dinheiro. Na ocasião, o ato foi abortado. No dia seguinte, um desses suspeitos foi preso na cidade do Guarujá, litoral paulista, com 40 quilos de cocaína.

Luiz Fernando é considerado o líder de organização criminosa e integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC). Nesta ocasião de sua prisão, aproximadamente 40 quilos, quantidade geralmente carregada todas as viagens, de cocaína fora apreendida em bagagens com destino à Europa. Duas pessoas que transportavam a droga também foram presas em flagrante, sendo uma delas um boliviano.

*Com informaçõs da Agência Brasil e Polícia Federal

Luiz Fernando, o

Facebook Comentários