Data de Hoje - 18/Março/2019

Vereadora presa pede cargo de volta para fortalecer apoio à prefeita

Vereadora afastada Denize Portolann de Moura Martins (PR) presa desde o dia 31 de outubro recorreu à Justiça para revogar a licença de 120 dias que ela mesma havia requerido à Câmara de Dourados para tratar de assuntos particulares, dentro do Estabelecimento Penal Feminino de Rio Brilhante. Denize enviou carta endereçada a presidente da Câmara Municipal de Dourados, Daniela Hall (PSD), pedindo para revogar licença com objetivo de requerer o cargo no Legislativo.

Denize Portolann pede para que os direitos integrais inerentes ao cargo sejam retomados imediatamente, bem como a remuneração de  R$ 12.661,13.

Se o pedido for acatado, a suplente de Portolann, Lia Nogueira (PR) terá que deixar o cargo. O objetivo de afastar Nogueira é porque ela não estaria apoiando a chapa da base aliada da prefeita Délia Razuk (PR) e seria uma dissidente do partido.

As críticas em relação a atitude da vereadora afastada tem sido inúmeras nas redes sociais. A professora, Gleice Jane, declarou sua indignação em sua página do Facebook. “Não posso acreditar que uma pessoa se sujeite a algo tão ridículo. Primeiro por pedir retorno ao exercício do cargo mesmo estando na cadeia, segundo porque ela está afastada por força de decisão judicial e não por desejo pessoal. O pedido tem como objetivo impedir a efetivação da substituta, Lia Nogueira, que tem tido postura contrária ao “bando do Pepa” como tem sido tratado as eleições da mesa diretora na Câmara Municipal de Dourados. A que ponto chega o desespero de um grupo político para se manter no poder”, diz Jane.

De acordo com a Rádio 94 FM de Dourados, a presidente da Câmara, vereadora Daniela Hall declarou que não é possível atender pedido de Denize porque afronta decisão judicial anterior. Ela fez referência ao despacho proferido no dia 8 de novembro pelo juiz José Domingues Filho, da 6ª Vara Cível de Dourados, que determinou o afastamento de envolvidos na Operação Pregão dos cargos públicos que ocupam, proibindo-os de exercer qualquer ato ou função inerentes a tais cargos, até o julgamento final da ação principal.

PRISÃO
Denize Portolann foi presa dia 31 de outubro, durante Operação Pregão por crime de corrupção quando atuava como secretária de Educação no início da gestão de Délia Razuk. Denize está presa no presídio de Rio Brilhante.

*Colaborou Tainá Jara 

Facebook Comentários