Share on facebook
Share on skype
Share on email
Share on whatsapp

Com doses já na fronteira, secretario garante seguimento de estudo

  1. Durante reunião convocada pela promotora de Justiça, Filomena Fluminhan no Ministério Público de Mato Grosso do Sul nesta quinta-feira (01) para explicação do estudo de imunização de cidades fronteiriças, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende afirmou que as doses extras encaminhadas ao Estado já estão nas 13 cidades que farão parte do experimento.

Resende explica que o estudo beneficia todo o Estado e não somente os municípios da fronteira.

Últimas Notícias

“Não só ganham os municípios de fronteira, como ganha todo o Mato Grosso do Sul, mostrei a drª Filomena que essa conquista foi trabalhada durante três meses e que os municípios que não fazem parte da fronteira terão ganho substantivo, e já tiveram ganho, inclusive nessa remessa de vacinas, que já tiveram um adicional de doses que regularmente são endereçadas aos municípios de fronteira”, relatou.

Ainda de acordo com o secretário de Saúde, aqueles que são contra o experimento, estão contra a ciência.

“Quem vai contra esse estudo, está se posicionando contra a ciência, contra esse conhecimento, porque essa pesquisa não vai ser só importante para o Brasil, vai ser importante para o mundo, para ver a efetividade de uma vacina no enfrentamento de uma mutante do Coronavírus, chamada P1 que tem predominância em Mato Grosso do Sul”, salientou.

A reunião foi realizada sanar dúvidas sobre o estudo. Participaram do encontro, Geraldo Resende, Coronel Marcello Fraiha e Larissa Castilho e o secretário municipal de Saúde de Campo Grande, José Mauro.

O objetivo do estudo é imunizar toda a população acima de 18 anos com o imunizante de dose única Janssen, prevenindo contaminação pelo fluxo de movimentação da população entre esses municípios na fronteira com o Paraguai.