Governo lança campanha para combater violência contra mulher; ministra silencia em entrevista

O governo federal lançou nesta segunda-feira (25) uma campanha de enfrentamento à violência contra a mulher. Antes do evento, a ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) convocou uma entrevista coletiva para explicar a campanha, mas permaneceu em silêncio, sem responder às perguntas. Após a cerimônia, disse que a intenção do gesto foi mostrar “como é difícil uma mulher ficar em silêncio”.

A campanha foi lançada em solenidade no Palácio do Planalto, com a presença do presidente Jair Bolsonaro. O lema da campanha deste ano será “Quando uma mulher perde a voz, todas perdem” – em 2018, o lema foi “Você tem voz”.

A campanha do governo federal terá divulgação na TV, no rádio e na internet da música “Amor que dói”, da dupla sertaneja Simone e Simaria, em que as duas ficam em silêncio. Uma versão em que elas cantam também foi lançada nesta segunda.

No evento, o governo não anunciou outra medida além da divulgação da música.

Silêncio em entrevista

Pouco antes de a cerimônia desta segunda-feira começar, a assessoria de imprensa da Presidência da República convocou a imprensa a uma entrevista coletiva com a ministra Damares Alves, também no Palácio do Planalto.

Quando a ministra chegou ao local, ficou calada, olhou para alguns jornalistas, mexeu no celular e deixou o local sem responder a perguntas (veja no vídeo acima).

Depois do evento, os jornalistas procuraram a ministra, para tentar uma nova entrevista. Ela, então, disse que “preferiu o silêncio” na primeira entrevista para mostrar aos repórteres “como é difícil uma mulher ficar em silêncio”.

“Eu fiquei em silêncio para que vocês sintam como é difícil uma mulher ficar em silêncio. Quando eu queria falar tanto com vocês, dizer para vocês dessa campanha belíssima, eu preferi o silêncio. É muito ruim tirar a voz de uma mulher, era esse o recado que eu queria dar. E obrigado por terem participado, voluntariamente, involuntariamente, da campanha. Que todas as mulheres tenham voz.”

Dados

Segundo o governo federal, o Brasil registra os seguintes números relacionados à violência contra a mulher:

  • 536 mulheres são vítimas de agressão física por hora;
  • 66% sofreram algum tipo de assédio no último ano;
  • 70% das agressões contra a mulher ocorrem dentro de casa;
  • 65% dos agressores contra as mulheres são os próprios parceiros ou ex.