Hospital de campanha de Manaus zera número de pacientes com Covid-19 e encerra atividades Unidade aberta às pressas durante colapso na saúde voltará a funcionar como escola. Mais de 600 pessoas se recuperaram da Covid-19 no local.

9/10

Com o número de pacientes zerado, o hospital de campanha de Manaus encerrou as atividades, oficialmente, nesta terça-feira (23), após 71 dias de funcionamento. A unidade, aberta às pressas por conta do colapso na rede de saúde causada pela pandemia, resultou na recuperação de 611 pacientes, que, segundo a Prefeitura, representa 81% de êxito no tratamento no espaço.

No dia 15 desse mês, quando ainda atendia 46 pacientes, a Prefeitura de Manaus anunciou o encerramento das atividades por conta da redução nos números da Covid-19 na capital, que já infectou mais de 65 mil pessoas no Amazonas, até esta terça-feira. Agora, a estrutura é preparada para voltar a ser um complexo estudantil.

Desde o começo de junho, o Governo do Amazonas tem flexibilizado as medidas de isolamento social com a reabertura gradual do comércio na capital. Em Manaus, que teve caixões enterrados empilhados e em valas comuns diante do colapso no sistema de saúde, o número de enterros já apresenta redução e a média caiu para próximo ao que era registrado antes da pandemia. Porém, pesquisadores ainda consideram um novo surto da doença.

O hospital de campanha foi implantado em apenas quatro dias nas dependências de um Centro Integrado Municipal de Educação (Cime) e foi inaugurado no dia 13 de abril, durante o pico de casos do novo coronavírus em Manaus. De lá para cá, 757 pacientes deram entrada no espaço, registrando 611 altas médicas e 146 óbitos.