Share on facebook
Share on skype
Share on email
Share on whatsapp

Walter Carneiro Júnior prestigia lançamento da 2ª etapa do ‘Programa MS de Integridade’

O programa, que investiga e busca eliminar riscos de corrupção nos órgãos públicos estaduais, foi lançado pelo governador Reinaldo Azambuja na presença do ministro da CGU (Controladoria Geral da União), Wagner de Campo Rosário

Escrito por ACOM/SANESUL

Foto: EDson Ribeiro

Ao centro, Walter Carneiro Jr. posa para fotografia com o ministro Wagner de Campo Rosário (esq.)

O diretor-presidente da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), Walter Carneiro Júnior, participou nesta quarta-feira (17), em Campo Grande, do ato de lançamento da 2ª etapa do PMSI (Programa Mato Grosso do Sul de Integridade).

O programa, que investiga e busca eliminar riscos de corrupção nos órgãos públicos de Mato Grosso do Sul, foi lançado pelo governador Reinaldo Azambuja na presença do ministro da CGU (Controladoria Geral da União), Wagner de Campo Rosário, e do controlador-geral de Mato Grosso do Sul, Carlos Eduardo Girão, secretários estaduais, presidentes de fundações e autarquias do Governo do Estado, além de diretores de empresas públicas.

O PMSI será implementado em municípios do Estado, com adesão opcional e prevê o diagnóstico dos processos de gestão das prefeituras, além do aprimoramento dos servidores por meio de capacitações.

Para o governador, o programa incentiva as boas práticas no serviço público e melhora o controle interno e a transparência de ações e processos dentro das secretarias.

“Terminamos a primeira fase com todas as secretarias e autarquias do governo e, agora na segunda fase, vamos ampliar a transparência, a legalidade dos atos que são feitos e principalmente investir no treinamento com as equipes de gestão de cada secretaria”, reforçou o chefe do Executivo. “Queremos ter o servidor público como ferramenta essencial para essas boas práticas do serviço público, criando a cultura do bom desempenho”, emendou o governador, durante o ato de lançamento, ocorrido no Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul).

NÍVEL MUNDIAL 

O Programa MS Integridade foi lançado em 2019, pela Controladoria-Geral do Estado, com adesão de todos os órgãos do governo. A primeira etapa foi destinada a consultoria e foi finalizada com 660 ações propostas para a melhoria dos processos e serviços e 249 servidores envolvidos. Agora, o programa vai implantar as mudanças sugeridas e abranger o programa para os municípios do Estado.

Para o ministro, as medidas implementadas aqui são a nível mundial, mas demoram um tempo para ter resultados.

“O combate a corrupção não ocorre só através de luta e agravamento das sanções. Também é possível trabalhar com aspectos de prevenção, melhorando a capacidade de identificar irregularidades. Os órgãos vão criando controles e isso faz com que o recurso público não seja desperdiçado, nem desviado”, colocou.

Segundo ele, mudanças na cultura de empresas, por exemplo, podem demorar até cinco anos para ocorrer. “Quando você tem a cultura modificada, você reduz a corrupção, gerando efeitos que vão se acumulando e resultados mais significativos”, pontua.

Foto: Acom